Sexta-feira, 20 de Junho de 2014

A Festa do Morto

Então, senhor morto? As pessoas vieram à sua festa porque diz que você morreu e você não é capaz de se levantar para distribuir uns refrescos e uns croquetes? Levante-se, homem. Diga qualquer coisa. Dance e cante como um canário. Olhe que só se morre uma vez.

 

Considero isto um escândalo. Trazem-lhe flores e você não se levanta para as receber? Junta-se família e amigos e você, na mesma? Na mesma! Beije a abrace as pessoas e pergunte-lhes “Como é que vai essa vida?” E eles respondem-lhe “Olhe, vim até cá matar o tempo.”

 

Em vez de optar por anfitriar, mantém-se deitado, imóvel, a dormir, a fazer um soninho sabe-se lá até quando. Ó senhor morto, não deixe as pessoas a morrer à fome. É que depois ficamos aqui com um ambiente de matar à faca.

 

Eu aqui, morto de inveja que nem na minha comunhão solene tive tanta gente e você, com estas pessoas todas bem vestidas, num dresscode rigoroso e aprumado, permanece deitado e rígido a pensar na morte da bezerra.

Ai senhor morto, senhor morto, você é mesmo um atraso de vida.

 

Johnny Almeida

Publicado por Universo de Paralelos às 19:37
Link do post | COMENTAR | Favorito (1)
1 comentário:
De golimix a 22 de Dezembro de 2014 às 17:03
Pode-se saber o que é feito dos meninos?


Comentar post

!>Pesquisar neste blog

 

!>Junho 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


!>Arquivos

!>Visitas