Segunda-feira, 25 de Junho de 2012

Subornista

Desde bebé tinha a certeza que era melhor que os outros. E esse facto ficou bem vincado no momento do seu nascimento. Nasceu a fumar cachimbo, em pose autoritária, note-se, e a ler Alexandre O’Neill. Disse na altura, em tom snob “Não me batam no rabo que eu não quero chorar, caso contrário perco o raciocínio ao parágrafo.”

 

Miguel Camões… Pshi! Até o nome lhe dava condições para vingar. Mas a este não lhe interessou nadar com um só braço para salvar um Odisseia. Este, pobre coitado na minha opinião, entregou-se ao seu lado virado para Satanás, prendeu as trevas à cintura, como que se tivesse nascido siamês do lado negro da lua.

Era muito má pessoa. Em vez de ficar em casa a selecionar roupa antiga para doar à caridade ou a ler os livros da Anita, mandava matar chineses para fazer casacos de pele e cortava a cabeça dos inimigos para fazer pantufas.

 

Dedicou-se então ao pior crime do mundo… O suborno!

Senhoras e senhores, pessoas e não-pessoas, este é Miguel Camões, o primeiro “subornista” de profissão, a descontar para a segurança social e com escritórios na Damaia. Rei da prática do bom suborno.

Para além de subornista a tempo inteiro, tinha um part-time como proxeneta e burlão, actividades em que não era tão bom.

Tinha uma velha máxima “Não aceitarás suborno, porque o suborno cega os olhos do sábio e falseia a causa dos justos. Agora, se for eu a subornar, tudo bem.”

 

Desconectou-se cedo das alcunhas foleiras, advertindo-se a si mesmo que quem as tinha acabava preso, recordando o “mãozinhas” ou o “naifas”.

 

A primeira vez que subornara foi numa aula de EVT (Educação Visual e Tecnológica, para quem não foi além do quarto ano de escolaridade). Tinha apenas onze anos, mas com a noção perfeita de que uma garrafa de whisky lhe garantia nota máxima, sem ter que pintar a guache ou trabalhar com madeira. Esperto o raio do moço!

Começou a dar dois contos à mãe todos os dias para lhe trazer o pequeno-almoço à cama.

A sua melhor negociata foi preparada para o dia do seu casamento. Convenceu a noiva, uma belíssima mulher búlgara, a casar com ele, com a promessa de duas anualidades da revista Maria e um passeio à Bracalândia. De facto, para quem tinha treze anos, não se contentou com o facto de ir casar com um homem de vinte e seis. O raio da miúda fez birra para ir ao parque de diversões. Convenceu o Papa a presidir-lhe a cerimónia em troca de um maço de tabaco. Um volume de SG Filtro. O raio da Papa também fuma com um cavalinho. Depois mal se percebe o que diz. A cerimónia realizou-se no Autódromo Nacional, com a promessa de lhes ceder o piloto Angélico Vieira. Infelizmente, Angélico foi fazer umas corridas para aquele país que se chama… céu. Tinha padre, tinha local, tinha noiva, faltava-lhe o padrinho. Convenceu o Nuno Luz em troca de um curso de jornalismo.

 

Tudo corria bem. Era bilionário, bem sucedido com as mulheres e ganhou um autocolante super-raro no bollycao. Até que numa viagem a Londres se cruzou com um indivíduo.

Os pés gelaram-lhe. O coração martelava-lhe o peito. As mãos e os joelhos rebentaram-lhe a escala de Richter e nos seus olhos desaguavam todas as formas líquidas do planeta, desde àgua até ao gin, passando pelo azoto líquido. Em trinta e quatro anos de vida nunca tinha visto tanta trafulhice junta. Era Vale e Azevedo.

Afundou em tristeza. E como diz o ditado “Se não consegues vencê-lo, junta-te a ele, mata-te ou dedica-te a outra coisa.” Miguel dedicou-se a outra coisa, que foi o mesmo que morrer. Missionário em África, doou toda a sua fortuna à caridade e fundou a Liga Protetora dos Aleijadinhos… ‘Tou a brincar. Tentou matar o ex-dirigente, mas como não conseguiu veio para casa e continuou a sua vida normal. A conquistar e a conseguir o que queria através de promessas.

 

Moral da história: Nem toda a gente que pratica o mal, fode-se no fim.

 

Johnny Almeida

Publicado por Universo de Paralelos às 16:36
Link do post | COMENTAR | Favorito
7 comentários:
De Deus a 26 de Junho de 2012 às 06:13
es um genio. Criei o mundo e tenho inveja de ti.


De Veruska a 26 de Junho de 2012 às 22:22
Será mesmo...???!!!!!


De umcopodelimonada a 26 de Junho de 2012 às 13:34
ahah que pitada de ironia e sarcasmo. Mesmo a gosto!


De M.Luísa Adães a 27 de Junho de 2012 às 13:07
Bom texto, com ironia interessante e focando assuntos importantes e de momento.

É assim, cada um escreve a seu jeito. Mas o meu medo...

"É o silêncio dos bons"...

Tenho vários blogs e um de poesia "os7degraus" no google que é o blogs principal.

Gostei de o encontrar, neste caminho virtual.

Maria Luísa


De Naçao Valente a 30 de Junho de 2012 às 00:10
Um texto que prende o leitor do princípio ao fim: originalidade, imaginação, ironia. Foi um prazer lê-lo.
Um abraço


De wengzuhua a 30 de Junho de 2012 às 15:18
Welcome to nfl-footballjersey site.Here,you could shop any NFL,MLB,NHL,NBA Jersey you want and custom NFL,MLB,NHL,NBA Jersey.We established our company and specializes in
NFL,MLB,NHL,NBA Jerseysin 2008.All Products are in good market for North America. Football influenced largely in our life. Someone loves some player and purchase the NFL,MLB,NHL,NBA jerseys for memorial or wearing. Right, it stands for honors and pround. We had cooperated with Reebok, Nike for a few years since we established our company. Brand guarantee is quality warranty. Every day,site will have more than 1000
NFL,MLB,NHL,NBA jerseys sold to the world. Reebok ,Nike product quality and our excellent service also are highly praised by most of customers.


De golimix a 30 de Junho de 2012 às 20:51
Deliciosamente imaginativo... Ironicamente extasiante!

LMaria


Comentar post

!>Pesquisar neste blog

 

!>Junho 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


!>Arquivos

!>Visitas