Sexta-feira, 20 de Dezembro de 2013

O verdadeiro azar

Qual é a probabilidade de darmos crédito a pessoas que se enchem de vinho até aos cornos antes de conduzir e depois dizem “Ai, eu não passo por baixo de escadas porque dá azar.”

 

Não, não, não! Como assim, azar?!

Tu matas plantações de girassóis na Austrália por cada vez que expiras com esse bafo a animais putrefactos.

Tu não consegues fazer o quatro, que se formos a ver bem é só levantar uma perna.

Tu transportas um crime nos vasos sanguíneos.

Depois disto, achas que vais ter azar por teres passado por baixo de uma escada???

 

Situação sugerida:

Tens um acidente de automóvel. Estragas o carro todo, de uma ponta à outra. Estragas mais dois que vão à tua frente, atropelas duas idosas que estavam numa paragem de autocarro, matas os teus filhos, tudo resulta numa enorme explosão e o fogo alastra-se para os prédios ao lado. Resultado: acabas de incendiar meia capital europeia e tu sais com queimaduras irreversíveis. O que é que vais dizer? “Olhe, senhor juiz, o problema foi ter passado por baixo de uma escada, porque o acidente não está nada relacionado com o rodízio de garrafas de vinho que estou a fazer desde o pequeno-almoço.”

 

Ó indivíduo (aplique o nome que lhe parecer indicado), és o tipo de pessoa que culpa a derrota do teu clube por teres um guarda-chuva aberto dentro de casa? Se entrares com o pé esquerdo na igreja, achas que é meio caminho andado para a noiva não aparecer? Se tiveres a orelha quente, pensas em todas as pessoas que possam estar a falar de ti? “Ai, tenho a orelha quente, se calhar Fulano de Tal está a falar de mim por causa daquela camisola que eu pedi emprestada há três anos e nunca mais lhe dei, porque ela até era gira e tal.” E gatos pretos?!!

 

Ui! Gatos pretos? Temos aqui um verdadeiro problema. Essa projecção na terra do demónio, quando vista à noite pode trazer a morte… Ui! A morte!!! A morte é-nos trazida por um gato preto que nos vai fazer xixi na sopa e nós vamos morrer? O único gato que há registo que fez mal a alguém era o de “uma velha que morava numa ilha e tinha um gato com os olhos cor de ervilha. Mas esse gato era muito lambareiro e andava sempre, sempre atrás do cheiro. E certo dia sem a velha dar por isso, o gato foi à cozinha e roubo-lhe o chouriço.” Pronto, o gato roubou o chouriço. Grande coisa! Cambada de xoninhas com medo de gatos pretos. Bebam para esquecer.

 

Uma sugestão para ultrapassarem as superstições: convidem doze amigos e juntem-se treze à mesa, comam gato preto estufado com batatinha a murro. Tudo a entrar com o pé esquerdo e de guarda-chuvas abertos. Das duas, uma: ou falecem todos com azar ou quando forem conduzir por estarem podres de bêbados.

 

Johnny Almeida

Publicado por Universo de Paralelos às 18:04
Link do post | COMENTAR | Favorito
4 comentários:
De golimix a 21 de Dezembro de 2013 às 23:45
Passei para deixar desejos de um doce Natal com belos sorrisos



De jabeiteslp a 24 de Dezembro de 2013 às 18:36
Que seja uma noite feliz e em Paz


De golimix a 4 de Janeiro de 2014 às 11:35
Quando passei da primeira vez com desejos de Feliz Natal confesso que não tinha lido o texto, que agora voltei para o fazer. Por isso estou perdoada.

Amei. Nada me podia pôr tão bem disposta a esta hora, salvo o gato preto a tocar à campaínha porque tinha escapado à estufadela e colocou o coelho no seu lugar


De Nia a 3 de Janeiro de 2014 às 14:50
Ai eu só tenho azar com homens que andam à noite como gatos pretos...Fazem as pessoas tropeçar e ...nem sabemos em que "cama se vão deitar"! ;)


Comentar post

!>Pesquisar neste blog

 

!>Junho 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


!>Arquivos

!>Visitas